NOTICIA

MEC à prova: Após crises e demissões, especialistas em educação dizem ser hora de mirar no essencial e contam o que é

25/04/2019 10:14

Após meses de indefinições e uma crise interna que levou a um troca-troca de funcionários de diferentes escalões no MEC (Ministério da Educação), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) decidiu, no dia 8 de abril, demitir o colombiano Ricardo Vélez Rodríguez e nomear o economista Abraham Weintraub para comandar a pasta.


Ambos têm em comum a indicação ao cargo pelo escritor Olavo de Carvalho, o "guru" intelectual de Bolsonaro.


Desde março, uma série de desentendimentos entre figuras ligadas a militares e discípulos de Olavo expôs a crise interna no MEC. O jogo de forças levou à exoneração de mais de dez pessoas do alto escalão do ministério, incluindo Vélez e comprometendo o funcionamento da pasta.


Com isso, no saldo dos 100 primeiros dias de governo, a única medida apresentada pelo MEC foi um decreto da Política Nacional de Alfabetização, que prioriza o chamado método fônico. A adoção de uma única metodologia foi alvo de críticas.


Weintraub, ao tomar posse, disse que seu objetivo é "acalmar os ânimos". Mas também deu a entender que não teria problemas em tirar do ministério quem não estiver de acordo com o rumo dado por ele à pasta.


as o que deve ser encarado como prioridade pelo novo ministro? Consultadas pelo UOL, especialistas da educação elencaram quatro pontos iniciais.


Fonte: UOL

Capes deve liberar R$ 7 milhões para pesquisas na Amazônia Legal

20/11/2019 09:08

Inep firma cinco novos convênios e notas do Enem são aceitas em 47 instituições portuguesas

20/11/2019 09:03

Encontro permite troca de experiências sobre a metodologia de avaliação do ensino superior

20/11/2019 08:51

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Artigos, notícias e informativos sobre legislação da área da educação



CONTATO

SEPN 516 Norte, Bloco D, Lote 9,

Edifício Via Universitas, 4° andar

CEP 70.770-524 - Brasília - DF

Entrada pela via W2

(61) 3349.3300

(61) 3347.4951

(61) 3030.2200

(61) 9.9370.3311

abruc@abruc.org.br

REDES SOCIAIS

COPYRIGHT © 2018 ABRUC. A ABRUC não é responsável pelo conteúdo de sites externos.