NOTICIA

Mais de 100 escolas particulares retornaram nesta segunda-feira

22/09/2020 15:23

O balanço é do Sindicato das Escolas Particulares do DF (Sinepe-DF), que também considerou que o número de alunos que retornaram à sala de aula está dentro do esperado


Depois de seis meses com as aulas presenciais suspensas em função da pandemia do covid-19, alunos da educação infantil das escolas particulares do Distrito Federal retornaram às salas de aula nesta segunda-feira (21/9). Álvaro Domingues, presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF), revelou que aproximadamente 25% das 570 escolas particulares retornaram. Quanto ao número de alunos, de acordo com o levantamento feito, aproximadamente um terço foi às aulas.

O presidente do sindicato afirmou ainda que o número de alunos que compareceram no primeiro dia atendeu as expectativas.

Confira abaixo o vídeo de Álvaro Domingues sobre a volta às aulas nas escolas particulares do DF:

 O retorno está acontecendo de maneira gradual, cumprindo todas as exigências de segurança previstas pelo Ministério Público do Trabalho. Além disso, nos últimos meses, as escolas do DF se prepararam rigidamente para a recepção segura dos alunos, alterando a estrutura e oferecendo serviço de testagem para professores e servidores.

O mantenedor do colégio de educação infantil Little Kids, Rodrigo Rodrigues, informou que a escola passou por todas as adaptações que foram exigidas pelo MPT no protocolo de retomada e acrescentou que o número de alunos que marcaram presença no primeiro dia ultrapassou o esperado. “Nos surpreendeu positivamente, tivemos uma adesão bem acima do esperado e tudo correu muito bem, graças a Deus”, afirma.

Dinâmica da retomada


Em audiência pública feita em 24 de agosto com representantes do Sinepe/DF, do Sindicato dos Professores em Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinproep-DF) e o MPT, ficou decidido que a educação infantil seria a primeira a testar o retorno presencial, em 21 de setembro.

Posteriormente, em 19 de outubro, retornam os alunos do ensino fundamental 2, e, por último, o ensino médio e profissionalizante, em 26 do mesmo mês. O retorno às salas não é obrigatório e as escolas devem continuar a oferecer a opção remota de ensino.

É obrigação das escolas respeitar o distanciamento e a limitação máxima de 50% dos alunos por turma; fornecer os materiais de higienização e equipamentos de proteção individual (EPIs) para todos os funcionários.

Além disso, os empregadores devem fornecer máscaras aos empregados adequadas aos graus de risco de contaminação a que o trabalhador esteja exposto e em quantitativo suficiente e que atenda à limitação do período de uso da máscara.

Também ficou decidido o afastamento imediato de trabalhadores e alunos infectados até a plena recuperação. Além do afastamento imediato de trabalhadores e alunos infectados ou que apresentem sintomas da covid-19 até que se submetam a exame específico que ateste ou não a contaminação.


Foto: Colégio Little Kids/Reprodução

Fonte: Correio Braziliense

Entenda como o coronavírus se move na sala de aula e o caminho da contaminação

20/10/2020 17:06

Projeto permite que trabalhador utilize recurso do FGTS para quitar dívidas com educação

20/10/2020 16:41

ENADE: Maioria dos estudantes avaliados é da rede privada

20/10/2020 16:11

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Artigos, notícias e informativos sobre legislação da área da educação



CONTATO

SEPN 516 Norte, Bloco D, Lote 9,

Edifício Via Universitas, 4° andar

CEP 70.770-524 - Brasília - DF

Entrada pela via W2

(61) 3349.3300

(61) 3347.4951

(61) 3030.2200

(61) 9.9370.3311

abruc@abruc.org.br

REDES SOCIAIS

COPYRIGHT © 2018 ABRUC. A ABRUC não é responsável pelo conteúdo de sites externos.