CLIPPING

Dados da Ancine servirão de base para incentivo a filmes dirigidos ou roteirizados por mulheres

06/09/2018 14:49

Audiência pública sobre as mulheres e a economia do Audiovisual
Comissão de Cultura debateu a participação feminina no mercado audiovisual brasileiro

A superintendente da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Maria Angélica Marques, afirmou que um levantamento feito pela agência vai servir de base para o fomento de políticas que viabilizem a produção e a comercialização de filmes dirigidos ou roteirizados por mulheres.

O levantamento da Ancine mostrou que, dos 142 filmes brasileiros exibidos em circuito comercial em 2016, somente 27 deles (19%) foram dirigidos ou roteirizados por mulheres. O assunto foi discutido em audiência pública da Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados.

"Toda a atuação nesse sentido tem que ser uma atuação múltipla, que não foque apenas na produção, mas em toda a cadeia do audiovisual. Tem que ser mais ampla para permitir que esses filmes sejam vistos e que essas histórias sejam contadas, tanto de mulheres quanto de negros", afirmou a superintendente da Ancine.

Cotas em editais
A diretora de Políticas Audiovisuais do Ministério da Cultura, Ana Sylvestre, destacou que, desde 2012, os editais do ministério para a produção de conteúdo definem cotas para mulheres e negros como forma de garantir maior participação no setor.

"É a importância de você ter no papel de direção – que é um papel determinante na definição do olhar e da narrativa e da trajetória daquela obra – mulheres que possam apresentar a sua forma de enxergar as sociedades, os acontecimentos e as narrativas. Essa tem sido a importância que a gente tem dado tanto na direção como no roteiro", declarou Ana Sylvestre.

Importância da cultura
A deputada Erika Kokay (PT-DF) ressaltou que a cultura é fundamental para a formação do povo brasileiro. "Cultura não é cereja de bolo, nem chantilly de café, é absolutamente estruturante porque é inclusive a forma como o povo se identifica e constrói as suas identidades. Nós temos um espectro identitário imenso, nós somos e carregamos inúmeras identidades e todas elas precisam se expressar com liberdade", disse a parlamentar.

A autora do requerimento para a realização da audiência pública e presidente da Comissão de Cultura, deputada Raquel Muniz (PSD-MG), destacou a importância da comissão na luta para que todos os espaços culturais sejam ocupados da forma mais diversa possível.

Fonte: Agência Câmara

Veja também

Instituto disponibiliza repositório comum a pesquisadores

21/09/2018 10:43

Educação a distância cresce 17,6% em 2017; maior salto desde 2008

20/09/2018 16:29

Baixa ocupação de vagas remanescentes inspira nova política do MEC para as federais

20/09/2018 15:27

INSCREVA-SE PARA RECEBER NOVIDADES

Artigos, notícias e informativos sobre legislação da área da educação



CONTATO

SEPN 516 Norte, Bloco D, Lote 9,

Edifício Via Universitas, 4° andar

CEP 70.770-524 - Brasília - DF

Entrada pela via W2

(61) 3349.3300

(61) 3347.4951

(61) 3030.2200

(61) 9.9370.3311

abruc@abruc.org.br

REDES SOCIAIS

COPYRIGHT © 2018 ABRUC. A ABRUC não é responsável pelo conteúdo de sites externos.